Nossa História

O Herbário Caririense Dárdano de Andrade-Lima, pertencente à Universidade Regional do Cariri – URCA, fundado em 19 de setembro de 1992, criado pelo então Reitor Manoel Edílson do Nascimento tendo como primeira curadora a Professora Maria Ivonete Carneiro de Oliveira Louro. Recebeu este nome em homenagem ao grande pesquisador da área das Ciências Naturais Dárdano de Andrade-Lima, que tanto contribuiu para o conhecimento da Botânica, em especial do Nordeste.

No ano de sua criação, o Herbário possuía um acervo com cerca de 330 exsicatas, não sendo referidas as suas principais coleções. Tal número era considerado pequeno comparado com outros herbários.

Em 1994, a curadoria do Herbário passa a ser ocupada pela professora Dra. Maria Arlene Pessoa da Silva que atualmente permanece no cargo. A partir de então, tendo sido implantada no referido Herbário, uma política de expansão prevendo formação de pessoal especializado, incremento no esforço de coleta, promoção de curso, participação em eventos científico regionais, nacionais e internacionais e execução de projetos fomentados por diversas agencias de fomento, como: Fundação Cearense de Apoio do Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FUNCAP, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC/URCA, Fundação o Boticário e Banco do Nordeste, além de incentivos do Governo do Estado do Ceará.

Em 2001, o acervo contava com 1729 exsicatas, sendo 755 identificadas e 974 não identificadas, distribuídas em 102 famílias botânicas e 554 gêneros, dos quais, 70% encontravam-se identificadas ao nível de gênero e/ou espécie.

No ano de 2006, houve um aumento significativo do acervo passando a 2526 exsicatas. Já em 2007, o número alcançou aproximadamente 3300 registros, estando distribuídas em 131 famílias, sendo Rubiaceae (164); Caesalpiniaceae (136); Asteraceae (127); Euphorbiaceae (96); Malpighiaceae (96) e Myrtaceae (90) as mais representativas. E no ano de 2009, o acervo contava com aproximadamente 6000 registros, revisadas, conservadas, tratadas e organizadas pelo Sistema de Classificação APG II – Angiosperm Phylogeny Group (2003).

Atualmente, a coleção já alcançou um total de 8340 exemplares, coletados nos mais distintos estados brasileiros, sendo contemplada principalmente por representantes da flora da região do Cariri, em especial da Chapada do Araripe, nos seus diversos ambientes: cerrado, cerradão, carrasco e mata úmida.