Métodos

 

 

 

Métodos Alternativos

 

Alternativas para o refinamento no uso de animais

 

Veja aqui várias recomendações relativas aos procedimentos de coleta de sangue em animais de laboratório ou infusão endovenosa. Técnicas como a punção retro-orbital, que deixa várias sequelas, podem ser substituídas com vantagens.

– Vários métodos de coleta de sangue e injeção em animais

– Punção sub-mandibular em camundongos

– Métodos para coleta de sangue em camundongos

– Punção gengival para coleta e injeção em ratos e camundongos

– Preferred drugs and regimes for animal anaesthesia and analgesia

 

Alternativas ao uso de animais

Atualmente existe intenso trabalho para a substituição das tradicionais preparações vivas utilizadas no ensino das ciências médicas e biológicas. Isto se deve principalmente a conscientização crescente de que os recursos multimídia bem utilizados podem potenciar a experiência do aprendizado. A tecnologia da informação oferece recursos quase ilimitados para a demonstração e treinamento nos fenômenos biológicos, que podem ser repetidos à exaustão. Periodicamente, atualizamos a lista abaixo com o intuito de auxiliar à comunidade acadêmica a encontrar soluções de qualidade para a substituição no uso de animais.

 

Manual de procedimentos da FIOCRUZ

eticanapesquisa.org.br – Site do Ministério da Ciência e Tecnologia sobre a ética na pesquisa humana e animal

The Canadian Council on Animal Care – Trata das recomendações do Conselho Canadense para o Uso de Animais. Similar ao que deverá ser o CONCEA brasileiro.

The Norwegian Reference Centre for Laboratory Animal Science & Alternatives – provê informações sobre ciência de animais de laboratório e alternativas para o uso de animais em pesquisa, ensino e aulas de dissecação.

The Humane Society of the United States – Discorre sobre espécies, uso em educação e pesquisa, aborda questões éticas.

Found for the Replacement of Animals in Medical Experiments – Questões éticas, novidades, alternativas de pesquisa documentadas e publicações.

The Johns Hopkins Center for Alternatives to Animal Testing (CAAT) – Pesquisa de alternativas de substituição e refinamento. Publicações e Site especifico.

The Johns Hopkins Center for Alternatives to Animal Testing (ALTWEB) – Pesquisa de alternativas de substituição e refinamento. Publicações e Site especifico.

EURCA – European Resource Centre for Alternatives in Higher Education – Informações em alternativas de substituição de uso dos animais.

Medicine and Veterinary Medicine – Un of Edimburg – Suporte técnico de aprendizado com e-learning etc.

Netherlands Centre Alternatives to animal use.

SECAL – Sociedade Espanhola para as ciências de animais de laboratórios.

Animal Procedding Committee – O Comitê de Procedimentos Animal (APC) é um corpo de público não-departamental aconselhador do órgão público inglês.

International Veterinary Information Service – IVIS – IVIS é uma organização sem fins lucrativo dedicada a prover informação clinicamente pertinente para os veterinários praticantes, estudantes veterinários e cientistas que usa pesquisa com animal

Guide For Th eCare And Use Of Laboratory Animals 8th Ed (2010) – OACU-NIH

Alternatives to Skin Irritation Testing in Animals

ALTWEB – Center for Alternatives to Animal Testing, The Johns Hopkins University

Animal Welfare Information Center

Center for Animal Welfare, University of California – Davis

Centre for the Study of Animal Welfare (CSAW), University of Guelph

European Centre for the Validation of Alternative Methods (ECVAM)

Information on Alternatives Databases – hosted by the Norwegian Reference Centre for Laboratory Animal Science and Alternatives.

InterNICHE Alternatives Loan System (based in Europe). List of training media and devices.

Model Organisms for Biomedical Research – Mammalian and non-mammalian; Funding Opportunities. National Institutes of Health.

Netherlands Centre Alternatives to Animal Use – NCA – coordinating research and disseminating information on alternatives to animal experiments for the Netherlands.

NORINA (Norwegian Inventory of Alternatives) – a comprehensive collection of information on audiovisual aids and other alternatives to the use of animals in teaching, at all levels from junior school to University.

University of California Center for Animal Alternatives

Isogenic.info – has two sub-webs: 15 steps in the design and statistical analysis of animal experiments, and information about isogenic strains.

Alternatives to Animal Use in Research, Testing, and Education

 

Métodos de Eutanásia

Fonte: Report of the AVMA Panel on Euthanasia, JAVMA, vol 218 nº 05, 2001

 

Tabela 1. Agentes de eutanásia

MétodoNíveis recomendadosComentários
CO2Concentração acima de 70%Alta concentração pode ser estressante para certas espécies
Nitrogênio e ArgônioAltas concentraçõesPodem ser estressantes para algumas espécies, outros métodos são preferíveis
COConcentrações de 4% a 6%Efeitos tóxicos cumulativos para pessoal exposto, explosivo em concentrações acima de 10%
MS 222, TMS≥ 250 mg/LEutanásia de anfíbios e peixes; animais mergulhados na solução; método não apropriado se os animais forem usados como alimento
Cloreto de potássio1 a 2 mmol/kgAnimal deve, necessariamente, estar previamente anestesiado

 

Tabela 2. Métodos de eutanásia para animais ectotérmicos (peixes, anfíbios e répteis)

MétodoNíveis recomendadosComentários
Pentobarbital de sódio60 a 100 mg/kgOutros barbitúricos podem causar dor quando injetados
MS 222, TMSVer tabela 1
Hidrocloreto de benzocaína≥ 250 mg/LEutanásia de anfíbios e peixes, animais mergulhados na solução
2-fenoxietanol0,5 a 0,6 mL/L ou
0,3 a 0,4 mg/L
Eutanásia de peixes

 

Observação: os dados das tabelas 1 e 2 são um mero resumo da informação contida no artigo da Associação Americana de Medicina Veterinária (AVMA). Para mais informações sobre os métodos apresentados e outros não citados, favor voltar ao artigo fonte.

Fonte: Resolução N° 714 de junho de 2002 do Conselho Federal de Medicina Veterinária

 

Eutanásia

Métodos Inaceitáveis

I – Embolia Gasosa;

II – Traumatismo Craniano;

III – Incineração in vivo;

IV – Hidrato de Cloral (para pequenos animais);

V – Clorofórmio;

VI – Gás Cianídrico e Cianuretos;

VII – Descompressão;

VIII – Afogamento;

IX – Exsanguinação (sem sedação prévia);

X – Imersão em Formol;

XI – Bloqueadores Neuromusculares (uso isolado de nicotina, sulfato de magnésio, cloreto de potássio e todos os curarizantes);

 

Métodos Aceitáveis:

EspécieRecomendadosAceitos sob Restrição
AnfíbiosBarbitúricos, anestésicos inaláveis (em algumas espécies), Dióxido de Carbono (CO²), Monóxido de Carbono (CO), metano sulfonato de tricaína (TMS, MS222), hidrocloreto de benzocaína, dupla secção da medula espinhalPistola de ar comprimido, pistola, atordoamento e decapitação, decapitação e secção da medula espinhal
Animais selvagens de vida livreBarbitúricos intra-venosos (IV) ou intra-peritonais (IP), anestésicos inaláveis, cloreto de potássio com anestesia geral prévia.CO², CO, Nitrogênio (N²), argônio, pistola de ar comprimido, pistola, armadilhas (testadas cientificamente)
Animais de zoológicosBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², CO, cloreto de potássio com anestesia geral préviaN², argônio, pistola de ar comprimido, pistola
AvesBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², CO, pistolaN², argônio, deslocamento cervical, decapitação
CãesBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², CO, cloreto de potássio com anestesia geral préviaN², argônio, pistola de ar comprimido, eletrocussão com sedação prévia
CavalosBarbitúricos, cloreto de potássio com anestesia geral prévia, pistola de ar comprimidoHidrato cloral, (IV, após sedação), pistola, eletrocussão com sedação prévia
GatosBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², CO, cloreto de potássio com anestesia geral préviaN², argônio
Mamíferos marinhosBarbitúricos, hidrocloreto de etorfinaPistola (cetáceos <4m de comprimento)
PeixesBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², tricaína metano sulfonato (TMS, MS222), hidrocloreto de benzocaína, 2-fenoxietanolDecapitação e secção da medula espinhal, atordoamento e decapitação ou secção da medula espinhal
Primatas não-humanosBarbitúricosAnestésicos inaláveis, CO², CO, N², argônio
RépteisBarbitúricos, anestésicos inaláveis (em algumas espécies), CO² (em algumas espécies)Pistola de ar comprimido, pistola, decapitação e secção da medula espinhal, atordoamento e decapitação
Roedores e outros pequenos mamíferosBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO², CO, cloreto de potássio com anestesia geral préviaMetoxiflurano, N², argônio, deslocamento cervical (ratos <200g), decapitação
RuminantesBarbitúricos, cloreto de potássio com anestesia geral prévia, pistola de ar comprimidoHidrato cloral (IV, após sedação), pistola, eletrocussão, com sedação prévia
SuínosBarbitúricos, CO², cloreto de potássio com anestesia geral prévia, pistola de ar comprimidoAnestésicos inaláveis, CO, hidrato cloral, (IV após sedação), pistola, eletrocussão com sedação prévia, pancada na cabeça (< 3 semanas de idade)
Visões, raposas, e outros mamíferos criados para extração do peloBarbitúricos, anestésicos inaláveis, CO² (visões requerem altas concentrações para eutanásia sem agentes suplementares), CO, cloreto de potássio, com anestesia geral préviaN², argônio, eletrocussão, com sedação prévia seguida de deslocamento cervical

 

Classificação da Dor